O que é taxa SELIC?

Provavelmente você já ouviu falar nos noticiários, leu nos jornais ou ouviu amigos comentarem sobre o aumento ou redução da taxa básica de juros da economia, a famosa SELIC. Mas o que é essa taxa? Que impacto ela tem na sua vida?

Tudo começa com uma necessidade do governo de ter dinheiro para pagar suas próprias dívidas e fazer investimentos. Para isso, o Tesouro Nacional emite títulos públicos que, em sua grande maioria, são comprados por grandes bancos.

Para garantir o controle de moeda em circulação e evitar um aumento descontrolado da inflação no país, todo banco é obrigado, por lei, a depositar um percentual do dinheiro que movimenta em uma conta no Banco Central.

Para respeitar o percentual estabelecido, os bancos muitas vezes precisam pegar empréstimos de curto prazo com outros bancos, oferecendo como garantia de pagamento os títulos públicos adquiridos do Tesouro Nacional. Estes empréstimos são feitos através do Sistema Especial de Liquidação e Custódia, daí o nome SELIC. 

A taxa divide-se em dois tipos:

Taxa SELIC OVER, que é a taxa de juros praticada nos empréstimo entre bancos citado acima, nos quais são utilizados títulos públicos como garantia.

Taxa SELIC META, que representa a taxa básica de juros da economia no Brasil, que serve de parâmetro para todas as outras taxas de juros praticadas no mercado.


Como a taxa é definida?

Para definir os rumos da economia, criou-se o Comitê de Política Monetária Internacional, o COPOM, que é o responsável pela definição da taxa básica de juros da economia e da quantidade de dinheiro em circulação no país.

Reunião Copom 2012. (Fonte: Agência Brasil)

Reunião Copom 2012. (Fonte: Agência Brasil)

O COPOM utiliza a taxa SELIC para incentivar a economia e controlar a inflação, o que gera grandes impactos na vida de todos os brasileiros.


Mas como a SELIC influencia minha vida?

Empréstimos e financiamentos aos consumidores.

Como a taxa SELIC serve de base para as taxas de juros praticadas no mercado, quando ela é alterada os empréstimos e financiamentos do mercado (empréstimos pessoais, juros do cartão de crédito, cheque especial, etc.) são alterados também. Assim, no caso de aumento da taxa SELIC, as taxas das modalidades de crédito provavelmente aumentariam, isto é, o crédito ficaria mais caro. O mesmo vale no caso de redução.

Estímulos à economia.

A taxa SELIC pode ser utilizada para estímulo da economia, uma vez que sua redução tornaria as modalidades de crédito disponíveis no mercado mais baratas e acessíveis e, com isso, aumentaria o consumo pela população e o investimento pelas empresas.

Contudo, ao utilizar a SELIC para impulsionar a economia,  pode-se gerar aumento na inflação em função da demanda criada pelo acesso ao crédito mais barato.

Controle da inflação.

A taxa SELIC também é utilizada para controle da inflação. O aumento da taxa SELIC teria como consequência a queda do consumo, devido ao encarecimento das modalidades de crédito aos consumidores, que comprariam menos ou buscariam produtos alternativos mais baratos. Contudo, ao utilizar a SELIC para controle da inflação, pode-se frear o desenvolvimento da economia em função da redução do consumo das famílias.

Rentabilidade de seus investimentos.

Várias modalidades de investimentos possuem sua rentabilidade influenciada pela SELIC. Geralmente, alterações na taxa SELIC influenciam diretamente a rentabilidade de fundos de investimentos, da caderneta de poupança, de títulos públicos, CDBs, LCIs, LCAs, etc. O aumento da taxa SELIC tende a aumentar o retorno destas aplicações, já a redução da taxa diminui a rentabilidade.

Como você viu acima, a taxa SELIC pode influenciar profundamente seu cotidiano e a economia. 

Saber os impactos dessa taxa em sua vida pode ajudá-lo a planejar melhor seu consumo e seus investimentos.